Pornografia produzida por mulheres: A revolução da indústria erótica- Parte 1

desenhos eroticos feitos por mulheres frida castelli desenhista italiana

O mercado pornográfico passa por uma revolução. Elas estão assumindo o controle e produzindo conteúdo sexual para mulheres. Descubra quem são estas profissionais, e o que estão produzindo nesta série sobre a “Pornografia produzida por mulheres” no século 21.


A cultura do erotismo e da pornografia sempre esteveram presente nas mais diversas sociedades e épocas. Mas durante séculos, tanto a arte erótica quanto a pornografia foram produzidas essencialmente por homens, para homens e para um público em sua maioria heterossexual. Mas isso começou a mudar.

Há décadas as mulheres vêm tentando fazer parte do fechado mundo masculino de produção de cultura erótica. Mas somente agora, em nosso século 21 elas estão ganhando espaço e público. Conheça agora o que é essa revolução na indústria pornográfica que está sendo capitaneada por mulheres!

pornografia produzida por mulheres desenho de apollonia saintclaire
Apollonia Saintclair – Ilustradora

A pornografia proibida para mulheres

Seja produzindo filmes, desenhos ou desenvolvendo produtos eróticos, as mulheres estão se projetando pela primeira vez na história, como criadoras do conteúdo sexual voltado para o público feminino. É uma revolução e uma quebra de tabu muito significativa no processo de libertação sexual e social, que as mulheres vêm vivendo desde o início dos tempos.

Isso tudo é muito novo em nossa sociedade, as desenhistas e produtoras eróticas sempre tiveram as portas da indústria pornô fechadas para elas, e o bolo desta indústria milionária, sempre foi repartido entre homens. Como nos conta Melinda Gebbie, uma das primeiras mulheres ilustradoras eróticas que se atreveu a produzir comics eróticos no circuito underground nos anos 70.

 “Era uma espécie de ‘Clube do Bolinha’. Nós tivemos que montar nosso pequeno acampamento perto do clube dos meninos, mas não muito perto ou eles viriam bater na nossa porta e atirar papel higiênico em chamas pela janela. Era essa mentalidade na época.”

Melinda Gebbie – Ilustradora de Comics Eróticos

Além de serem recusadas nas editoras e produtoras, elas eram desencorajas pelos homens, com a justificativa de que este era um mercado para homens, que mulheres não consumiam pornografia e por essa razão não valia a pena produzir para um mercado inexistente.  

E assim foi durante décadas, mas hoje este cenário está mudando, o mundo se torna cada vez mais feminista, e as mulheres estão se voltado para si mesmas e para suas necessidades.  Elas vêm alcançando mais espaço em todos os setores, e na indústria pornô, começam a ocupar posições de mando e decisão, antes exclusivamente ocupadas por eles.

Um mercado antes proibido para mulheres que está sendo completamente reinventado e começa a ser dominado por elas neste início de século 21.

A porta que faltava ser aberta: pornô para mulheres hetero

Esta revolução na produção de conteúdo erótico que estamos assistindo neste momento é um ajuste de foco e mercado, que começa a acontecer quando mulheres competentes e audaciosas resolvem chutar essa porta que os homens mantiveram fechada por décadas: a da produção pornográfica para mulheres, feita por elas mesmas.

desenho erotico de frida castelli
Frida Castelli – Ilustradora

 Quando as mulheres abrem esta porta dentro da indústria pornô, abraçam um nicho que jamais havia recebido atenção, o pornô para mulheres heterossexuais narrado desde o ponto de vista da mulher. Porque até a pornografia que mulheres hetero consumiam estava produzida a partir a visão e dos desejos sexuais dos homens.

No início, a produção pornô-erótica era exclusivamente focada no que homens heterossexuais queriam ver. Pouco mais adiante o mercado se expandiu, mas ainda sim, seguiu sendo voltado para homens, desta vez a pornografia estava direcionada a produzir para homens homossexuais. Na sequência assistimos mais uma abertura de mercado, as produções para mulheres homossexuais, mas que continuavam sendo produzidas por homens.

Até que chegamos a este século das mulheres e elas vem para tomar o controle do mundo. E na fechada indústria pornô, começam a produzir elas mesmas a pornografia que querem consumir. Seja hetero ou homossexual, os desejos sexuais femininos passam a estar em primeiro plano, e a mulher passa a ser a relíquia deste mercado, e não mais o objeto de uso e descarte que vinha sendo na mão dos homens.  

Mulheres consomem pornografia?

Lá no começo quando contamos que os profissionais que dominavam a indústria pornô-erótica nos anos setenta, recusavam as mulheres que queriam criar e produzir conteúdo sexual para o público feminino, com a justificativa de que não existia mercado consumidor para este tipo de pornografia, eles não estavam errados.

Eles tinham razão, as mulheres não consumiam pornografia. Mas porque elas não consumiam pornô?

pornografia produzida por mulheres desenho de apollonia saintclaire

Simplesmente porque o que era produzido por eles não atendia aos desejos do que as mulheres queriam ver no sexo. Além claro do imenso tabu que existia e ainda está entre nós, de que mulheres têm menos desejo sexual que homens.   

A partir do instante em que mulheres derrubaram as barreiras que as impediam de fazer parte da indústria erótica como criadoras de conteúdo, e começaram a produzir, o mercado de consumo feminino de pornografia surgiu e aumenta a cada dia.

 As mulheres estão consumindo e apoiando a pornografia feita por mulheres e estamos vendo surgir no universo feminino um nicho de mercado que gerou milhões de dólares para os homens, mas que nunca atendeu às demandas femininas, e agora pela primeira vez se volta para dar às mulheres o que elas querem ver no pornô e na arte erótica.

Não, elas nunca tiveram menos libido que eles, o que elas não tinham era uma produção voltada para o que queriam ver, um erotismo que partisse do olhar feminino.  

A revolução está em marcha: Mulheres produzindo pornô para mulheres

Elas estão desenhando, produzindo e dirigindo, tanto material audiovisual como gráfico sobre sexo, erotismo e fetiches. Hoje temos disponível vários sites com conteúdo pornográfico totalmente criado e realizado por mulheres e para mulheres. Videos, contos, comics, tanto hetero como homossexual, estão sendo consumidos por um número cada vez maior de mulheres que hoje se veem representadas, e não somente usadas para realizar as fantasias pornográficas masculinas.   

E esse movimento não é uma moda, é uma mudança de mentalidade que vem para abrir um mercado até então dominado por homens e dar uma nova cara para a indústria pornográfica. Uma cara mais alinhada com os desejos sexuais femininos e mais humana para os trabalhadores do setor.

Essa verdadeira revolução que está em marcha em todo o mundo, não afeta somente o conteúdo do material erótico que vem sendo produzido, mas também as relações de trabalho na indústria pornô. Uma indústria que estava com a imagem manchada devido à associação com misoginia, exploração sexual, violações e péssimas condições de trabalho.  

E os homens da velha indústria pornô já perceberam isso, e sabem que não poderão fazer mais nada para impedir que as mulheres entrem com força nesse mercado. Muitos deles já aceitaram que existe um novo pornô dirigido por mulheres para o público feminino e passaram a apoiar e incentivar essa mudança.  

“Estamos vendo uma revolução na pornografia que segue a perspectiva das mulheres, em vez da do homem. A maioria da pornografia é toda voltada para o que os homens querem ver, e, consequentemente, as mulheres não estão interessadas. Tenho a sensação de que isso está mudando à medida que mais mulheres adquirem posições de poder dentro da indústria e começam a fazer revistas e filmes eróticos, focados no que elas querem ver”

Tim Pilcher – O mais importante editor de cultura erótica da atualidade

Tim Pilcher foi ilustrador da DC Comics por vários anos antes de dedicar-se aos desenhos eróticos. Atualmente, Pilcher é presidente da The Comic Book Alliance, onde não apenas desenha e escreve como também desenvolve uma série de projetos gráficos lançando novos nomes no mercado. Ele é considerado a figura central da indústria pornô no seguimento gráfico e a voz do comic erótico mais importante do mundo, e para ele essa revolução das mulheres veio para ficar.

A série “Pornografia produzida por mulheres

Nesta série “Pornografia produzida por mulheres”, vamos mostrar quem são estas mulheres que estão revolucionando a indústria pornográfica em todo o mundo, na produção audiovisual e gráfica.

Alguns chamam este movimento de pornô feminista, outros de erotismo para mulheres, ou simplesmente pornografia feminina, e nesta série você vai ter a oportunidade de conhecer todo esse universo profundamente e tirar suas próprias conclusões!

Aqui no blog vamos trazer a cada semana, sempre às quintas, um post sobre uma destas mulheres incríveis, que estão revolucionando o mercado pornográfico no mundo.

desenho erotico produzido por mulheres - Giovanna Cassoto

Desenhos Eróticos produzidos por mulheres, para mulheres:

  1. Apollonia Saintclaire – França
  2. Frida Castelli – Itália
  3. Lynn Paula Russell – Inglaterra  
  4. Melinda Gebbie – E.U.A
  5. Giovanna Cassoto – Itália

Filmes Pornográficos produzidos por mulheres, para mulheres:

  1. Bright Desire
  2. Make Love Not Porn
  3. CrashPadSeries.com
  4. Sssh.com
  5. Trenchcoatx.com

Já conhece alguma delas? Quer saber mais sobre qual delas? Vote nos comentários, a mais votada será a primeira que falaremos na série!

E para te deixar um gostinho do que é este novo pornô produzido por mulheres, a seguir deixamos uma pequena amostra do que estas 5 ilustradores podem fazer na arte erótica e pornográfica do século 21!

Apollonia Sainclaire

A ilustradora francesa que mantêm seu verdadeiro nome em segredo e ilustra em preto e branco um pornô tanto para o público hetero como homossexual. O surrealismo e ficção científica também estão presentes em sua produção.


Frida Castelli

Frida Castelli é italiana e faz suas ilustrações inspirada nela mesma e no seu dia a dia. Carregados de sensibilidade e erotismo seus desenhos são um relato de suas vivências sexuais e de seus momentos de maior intimidade, sozinha ou acompanhada.


Lynn Paula Russell

Inglesa com um traço clássico e limpo, Lynn Paula Russel vem retratando o BDSM, o voyerismo e diversos fetiches femininos.


 Giovanna Cassoto

A italiana Giovanna Cassoto faz uma espécie de auto-ficção. Com desenhos super realistas ela faz fotos dela mesma e de suas fantasias sexuais. Depois cria seus desenhos e histórias em cima das imagens.


Melinda Gebbie

Melinda foi uma das primeiras ilustradoras que se atreveu a produzir comics eróticos no circuito underground nos anos 70. Sofreu muito preconceito, mas nunca desisitiu. Hoje, uma de suas criações se tornou uma das mais importantes revistas de comic erótico do mundo, “Lost Girls”.


Cada uma dessas mulheres nos trás uma forma diferente de abordar o sexo e o erotismo em seus desenhos, sempre do ponto de vista da mulher. E deixam claro que a pornografia pode ser muito mais interessante e atraente do que conhecíamos pelo olhar masculino.

Acompanhe a série de “Pornografia produzidas por mulheres” aqui no blog. Todas as quintas um novo capítulo desta incrível história protagonizada por mulheres inspiradoras, sensuais e audaciosas, que estão mudando o mundo pornô.

desenhos eroticos de giovanna cassoto

A cada semana um novo post mostrando seus trabalhos completos, contando suas trajetórias e os processos de criação que geram essas obras maravilhosas e cheias de erotismo.

Deixe seu e-mail no campo abaixo para ser avisado de cada novo post desta série sobre a pornografia produzida por mulheres para o público feminino.